Diário de uma catequista

domingo, Maio 11, 2008

Mensagem para a Joana

Olá Joana,

Faltou-te dize em que ano estás.

Independentemente do ano deixo-te algumas sugestões:

Fé, procurar testemunhos de Fé. Podes mesmo fazer um pequeno "jogo" com os teu colegas: dás um papel a cada um a dizer "O que é para ti a Fé?" e depois juntas todas as respostas num saco (devem ser anónimas), vais tirando uma a uma, lês e a partir daí podes lançar um debate, em que todos comentam cada resposta.

Bíblia o que é a Bíblia, quais os livros mais importantes de cada Testamento.

Missão: o que é ser missionário? Existem muitos sites na net a falar sobre missionários e sobre os seus testemunhos.

Aparições em Fátima de Nossa Senhora.


Caso pretendas coisas mais concretas, manda-me um comentário com o teu email (não publicarei esse comentário) e depois posso-te mandar mesmo algum material.

Boa sorte :-)

domingo, Janeiro 28, 2007

Caridade - 9º Catequese

“Eu nunca cuido de multidões, mas apenas a uma pessoa. Se olhasse às multidões, nunca começaria.”

"Aconteceu durante um verão muito quente de Africa. Um grande bando de milhares e milhares de flamingos voava à procura de água. Porém, todos os rios e lagos estavam secos. Fazia tanto calor que tinham secado. Voavam há várias semanas e as forças começavam a faltar. Se não encontrassem rapidamente água, morreriam todos de sede.

Contudo, enquanto atravessavam um deserto, aconteceu a tragédia: levantou-se um vento muito forte e acabou com as poucas forças dos flamingos. Caíram todos sobre as areias do deserto e ali ficaram estendidos debaixo de um sol ardente. Nenhum tinha forças para voar, e era quase impossível que se pudessem salvar daquela situação.

As pessoas que viviam no deserto, ao ver o sucedido, viram que era impossível ajudá-los. A única coisa que se podia fazer, era esperar que morressem debaixo do sol.

A notícia percorreu o mundo inteiro e vieram as televisões de todos os países para transmitir aquelas imagens. Todos lamentavam o sucedido, mas ninguém fazia nada para os ajudar.

Apenas uma criança, que se chamava Yumbé, fez algo por eles. A 3 km de onde estavam os flamingos, havia um oásis cheio de água. Tomou um deles nos braços e levou-o caminhando até ao oásis.

Depois, voltou a apanhar outro e fez o mesmo. E assim uma e outra vez. Yumbé não deixava de fazer viagens levando flamingos até ao oásis. Um homem, ao ver o que estava a fazer, aproximou-se e disse:

- Ó menino, que estás a fazer?

Yumbé respondeu:

- A salvar os flamingos.

E o homem, com uma voz muito séria disse:

- Mas não entendes que isso é impossível? São milhares os que estão a agonizar na areia. Não conseguirás nada ao salvar apenas alguns. Não vale a pena. Anda, vai para a tua casa e não gastes forças inutilmente.

Porém, o menino respondeu:

- Pergunte aos sete flamingos que estão a beber água no oásis, se valeu a pena que eu os tenha salvo.

E o menino continuou o seu caminho levando o oitavo nos braços.

O homem ficou muito surpreendido com esta resposta e, depois de pensar um pouco, resolveu fazer o mesmo que Yumbé. Já eram duas pessoas a salvar flamingos.

Isto começou a chamar a atenção dos que os viam. Rapidamente foram três, mais tarde oito e, no final, eram mais de 100 pessoas, as que estavam a fazer o mesmo que Yumbé.

Em 3 dias, todos os flamingos foram levados para o oásis. Não houve nenhum que tivesse morrido à sede. Graças a um menino que começou a fazer a sua parte, todo o bando pôde salvar-se."

Perguntas depois do texto:

- O que aconteceu aos flamingos?
- O que fizeram as pessoas quando os viram?

- O que fez Yumbé, e porquê?
- Qual é normalmente a nossa atitude?< style="font-family: trebuchet ms;">
- Porque desistimos antes de começar?

- O que move as pessoas que não desistem?


É um texto que se bem explorado dá pano para mangas...

domingo, Janeiro 21, 2007

As principais religiões do mundo - 8º Catequese

Vivemos num mundo de guerras "santas", falta o repeito pela diferença, o respeito pela outras culturas e religiões. Eu quis mostrar ao meu grupo o melhor de cada uma das principais religiões do mundo, os seus rituais, a sua origem.. Para isso utilizei um livro de religião e moral que trazia textos sobre várias religiões e atribui uma religião a cada elemento do grupo, este teve que numa folha A4 escrever um resumo do mais importante. Vimos por exemplo o Budismo, o Induísmo, o Islamismo, o Judaísmo.. Descobrimos pormenores engraçadissimos, como a presença de Jesus noutras religiões. Foi uma sessão de catequese muito interessante :-) E que suscitou nas crianças a curiosidade e a admiração por outro tipo de realidades, que embora diferentes da nossa não deixam de ser igualmente fascinantes.

Pena é que os homens utilizem a religião para o mal.

Ser santo e o Ano Litúrgico - 7ºCatequese

Todos os anos existe uma catequese sobre a Santidade. Já falei de várias personalidades e Santos Cristãos, mas este ano falei de alguém diferente: Dalai Lama. Recolhi um texto da Internet com um texto dele intitulado: "Investigar como ser feliz" (http://www.dalailama.org.br/ensinamentos/curitiba1.htm). Resumi o texto em pequenos tópicos que fui debatendo com os jovens, chegamos a conclusões muito interessantes :-) Foi uma sessão enriquecedora.

Ao longo destes 6 anos foram dadas algumas catequeses sobre os vários momentos do ano litúrgico, mas desta vez que quis juntar tudo num só esquema, é importante para eles terem de vez em quando umas revisões deste género para poderem consolidar conhecimentos.

Festa de Natal

Este ano não estive muito por dentro da festa de Natal. Chegamos a 2 semanas da festa e ainda ninguém tinha feito ou ensaiado alguma coisa, estava tudo muito verde. Mas nesse curto espaço de tempo, organizamo-nos e conseguimos apresentar 3 coisas diferentes: duas danças e um diaporama sobre o verdadeiro sentido do natal.

O grupo de catequistas do 6ºano é bastante unido, apesar de algumas divergências, ajudam-se sempre e trabalham para um objectivo comum. O que apresentamos nesta festa foi mais uma prova daquilo que um grupo unido consegue fazer.

terça-feira, Dezembro 26, 2006

Consumismo - 6º Catequese

Depois de faltar dois sábados seguidos (por motivos profissionais) dei uma catequese completamente diferente. Todos os elementos do meu grupo vivem sem graves problemas financeiros e, são jovens que estão habituados a terem o que querem sem darem o devido valor ao esforço que os pais fazem para lhes poder dar os telemóveis, as roupas de marca, o leitor de mp3, o computador, a ps2... enfim.. as imensas coisas que eles hoje em dia têm.
Por esse motivo resolvi dar uma catequese sobre o consumismo.
Introduzi o tema com dois textos sobre a responsabilidade e o trabalho (textos esses retirados de um livro sobre educação cristã). De seguida coloquei na parede uma cartolina, escrevi os nomes de cada um no topo da mesma e pedi-lhes que escolhessem uma profissão. Consoante a profissão tinham um determinado salário (negociado com eles), imaginaram que tinham 30 anos e viviam sozinhos. A partir daí começamos a actividade: gerir a sua vida/despesas em função do salário que recebiam. Quase todos terminaram com o saldo mensal negativo :-) Mas penso que consegui fazê-los pensar um bocadinho, muitos não tinham a noção de quanto custam as coisas, nem do número de despesas que uma pessoa normalmente tem. No final rematei com a seguinte pergunta: Percebem agora porque precisam de estudar? (Lancei esta pergunta depois de alguns se queixarem que tinham de ganhar mais para se sustentar).
É óbvio que não é assim tudo tão linear.. mas desta forma eles conseguiram captar a mensagem.

sexta-feira, Novembro 10, 2006

O amor - 5º Catequese

Nesta catequese falamos do amor em geral. Os vários tipos de amor que podemos sentir: amor fraterno, amizade, paixão, caridade...
Lêmos um texto sobre o amor em geral e sobre a generosidade deste sentimento.
Amar é gostar de alguém sem qualquer tipo de interesse (foi uma das conclusões a que se chegou).
Fiz com eles uma pequena actividade: cada um numa folha teve de escrever os nomes dos elementos da sua familia mais próxima e, depois para cada elemento tiveram de descrever qual a sua importância na familia. Alguns quiseram ler o que escreveram, outros preferiram guardar para si. O objectivo desta actividade era que cada um deles, por alguns momentos, pensassem no valor que cada pessoa da sua familia tem.

segunda-feira, Outubro 30, 2006

Debate - 4º Catequese

Este sábado fiquei com 2 grupos. Como não ia ter tempo para preparar algo para esta sessão resolvi fazer uma coisa diferente. Primeiro foi dada ao ar livre pois tava um dia fantástico; segundo dei um papel a cada catequizando para que nele escrevessem um ou mais temas que gostassem de discutir em conjunto.. Depois de todos terem dobrado o seu papel e colocado dentro do saco, sentaram-se e expliquei-lhes as regras do debate: falar um de cada vez, ouvir com atenção cada opinião, respeitar a opinião dos outros mesmo que seja diferente da nossa e acima de tudo dizer aquilo que se pensa.. De facto eles respeitaram estas regras com mais facilidade do que eu esperava :-)

Os temas debatidos foram principalmente a escola: "porque é que temos de ir para a escola?" foi quase uma pergunta geral.. descobri que muito poucos gostam da escola.. e que veêm nela algo de penoso, é dificil gostarmos de uma coisa quando não compreendemos o seu sentido. É claro que não consegui em poucos minutos faze-los mudar de opinião.. mas fiz-los pensar um pouco. Houve questões também relacionadas com a guerra, com os namoros..

Penso que esta catequese serviu mais para eu perceber o que vai naquelas cabecinhas do que outra coisa qualquer..

segunda-feira, Outubro 16, 2006

Sacramentos - 3ºCatequese

Esta catequese foi uma revisão aos Sacramentos (dados no 3ºano).
Tirei fotocópias do livro da Irmã Caridade (catequese para adultos) sobre cada um dos sacramentos. Cada elemento do grupo ficou com um sacramento diferente, leu o texto, sublinhou o mais importante e transcreveu para um folha as frases / simbolos que melhor identificavam o "seu" sacramento. No final colou-se todas as folhas numa cartolina com o objectivo de a colocar na entrada da igreja.

Paz e Guerra - 2ºCatequese

Foi o tema que escolhi para começar este novo ano. Aproveitei um texto dum livro de contos e explorei-o com o grupo. O texto era basicamente um pequeno diálogo entre uma inocente criança e um capitão de um potentissímo navio de guerra.. Depois de lermos o texto, debatemos questões como por exemplo: o que é a paz, que tipos de paz existem, o que se consegue com a violência, porque se usa a violência, como pode um navio de guerra conquistar a paz, que tipo de organizações existem para manter a paz entre os países, que países andam em guerra e qual deles tem razão.. Chegou-se a algumas conclusões interessantes. O importante era perceber que uma guerra tem dois lados nem sempre existe o lado bom e lado mau.. existem sim formas diferentes de pensar e que leva a muitos países a não se entenderem.. existem interesses.. Por outro lado o facto de uma pessoa não estar em paz consigo mesma leva-a a fazer guerra com os outros..

Depois do pequeno debate de ideias fizemos um trabalho: cada um escreveu num papel uma série de frases sobre como conquistar a paz e como conquistar a guerra; no final escolheram-se as melhoras e colamo-las numa cartolina. Fixamos a mesma na entrada da igreja.

6ºAno

Começou no outro dia e já foram dadas 3 catequeses. O grupo mantém-se o mesmo. É pequenino mas é o meu grupo e irei com eles até ao fim. 6 elementos apenas mas todos eles tão diferentes e com personalidades tão distintas.. Chega a ser mágico pensar na evolução de cada um deles desde o dia em que os conheci até ao dia de hoje.. já lá vão uns aninhos..

Dia da apresentação: nada de especial.. uma pequena cerimónia (Festa do Envio), 5 minutos de recados e prontos.. estão passadas duas horas :-) Cada catequista recebeu um guia e o plano das catequeses a dar.

1º Catequese:
Contar as peripécias das férias, as novidades do novo ano escolar, a curiosidade sobre o que se irá falar neste ano catequético. Falei com eles sobre o que representa o 6ºano, afinal é uma responsabilidade são os mais velhos da catequese da infância.. têm de saber dar o exemplo. Distribui material para cada um, como é o último ano resolvi dar-lhes um miminho. Folhas, lápis, uma capa.. :-) E este ano cada um marcará as suas faltas num papel próprio.. Novamente temos uma folha A4 onde cada sábado colocamos o nosso estado de espirito..
É uma coisa muito simples: numa folha normal cada um coloca o seu estado de espirito (alegre, triste, chateado..) sob a forma de um smile/desenho e sob a condição de ninguém fazer perguntas.. é uma forma de partilhar o que vai lá dentro sem ter a necessidade de dar explicações ou de falar sobre algo que não apetece. E quando alguém está triste o resto do grupo respeita e nota-se um carinho especial para com aquele colega..